sexta-feira, 14 de setembro de 2012

INIMIGOS DA DILMA!




            Para a sra Dilma, ex-guerrilheira nos anos de chumbo, chamado impropriamente de Ditadura Militar, seus inimigos não são os seus torturadores e muito menos o sistema capitalista que ela procura gerenciar com toda competência. As suas relações com as forças armadas, e policiais, braços de sustentação da ordem vigente, são amistosas e até dotadas de muita cortesia. Não são pois, as instituições de sustentação do capitalismo, nem tampouco o próprio capitalismo que são vistos como seus inimigos. Os inimigos da ex-guerrilheira são: o PSDB, o DEM e o PPS.
            Contra o PSDB, ela abre a sua artilharia, partindo do pressuposto de que essa agremiação política é o inimigo principal de toda a humanidade, representante de um cruel modelo de gerenciamento do sistema, qual seja o modelo neoliberal. Contra esse perverso modelo, uma certa esquerda de feição acentuadamente direitosa, opõe, não o socialismo mas, um outro modelo de políticas econômica, de natureza nacional-desenvolvimentista que deverá tornar o atual sistema socioeconômico um sistema humanizado, palatável a todos os gostos e isso é um juízo sem nenhum fundamento.
            Essa dicotomia: neoliberalismo versus modelo nacional-desenvolvimentista, não passa de uma deslavada fraude política, cuja serventia é enganar consideráveis parcelas do povo, principalmente os setores tidos como mais politizados. É falso, profundamente falso, pretender que exista no âmbito do capitalismo, diferenças substanciais entre o público e o privado. Esse engano advém do fato de não se entender o verdadeiro caráter de classe do Estado. No capitalismo, o Estado é um instrumento político-militar da burguesia e o que é estatal não é do povo, como tanto propala a velha esquerda direitosa que tantos serviços, tem prestado ao exaurido capitalismo que se mantém de pé por conta de altos custos sociais.
            Não é de estranhar, portanto, que diante das impossibilidades de investimentos estatais nas obras de infra-estrutura, o governo petista lance mão de um pacote de medidas em que a privatização ostensiva dos investimentos nas obras infra-estruturais sejam colocadas como imprescindíveis.
             Trata-se de uma circunstância imperiosa, onde as necessidades do próprio sistema, determinam a conduta política a ser tomada e a sra Dilma não poderia fugir dessa contingência, quando sabemos que o seu governo, como todo governo no âmbito do capitalismo, está a serviço da burguesia. Ela procura levantar uma cortina de fumaça quando agride os neoliberais , enquanto resguarda os interesses maiores do capitalismo.

2 comentários:

  1. AMEI SEU BLOG,TINHA UM AMIGO Q GOSTARIA MUITO DE SEUS COMENTARIOS SAO BEM PARECIDO COM A OPINIÃO DELE MAS E UMA PENA ELE NÃO ESTA MAIS AQUI

    ResponderExcluir
  2. Ivanildo Cavalcante15 de setembro de 2012 16:29

    Gilvan Rocha, acertou na mosca. Realmente, à esquerda direitosa, no lugar de atacar o sistema capitalista, dirige sua metralhadora, contra os neoliberais e o imperialismo ianque. Deixando o inimigo dos trabalhadores (CAPITALISMO), isento de qualquer correção. Isso, é o que podemos chamar, de braço auxiliar da burguesia!... Aliais, esse papel de braço auxiliar do sistema vigente, tem sido, muito bem representado, pelo: PT, PCdoB e PSB.

    ResponderExcluir