sexta-feira, 2 de março de 2012

CRESCEM OS ESTUPROS


Nos últimos anos tem sido deveras chocante o número de estupros cometidos, inclusive contra crianças. No seio da Igreja Católica Apostólica Romana, tem-se evidenciado o fenômeno de pedofilia. Além da pedofilia clerical, que tanto tem chamado atenção, cresce em escala assustadora os casos de agressão sexual, geralmente seguidos de morte. Tantos têm sido esses fatos, que se tornaram banais, já não causam o mesmo impacto de anos atrás. A não ser quando o caso chega às raias do sumamente estapafúrdio. É nesse sentido que queremos nos reportar a um episódio dessa natureza, acontecido em Maranguape, município cearense, quando um jovem de 21 anos, estuprou uma senhora de 81 anos que clamava pelo socorro dos vizinhos. É um caso que foge totalmente ao que é costumeiro. Estamos “acostumados”, a ver adultos estuprarem adolescentes e até crianças da primeira idade. Somos, ou deveríamos ser, conscientes de que todos os fenômenos têm a sua explicação, e as agressões sexuais, os estupros, também devem encontrar resposta para tamanhas aberrações. Como sabemos, também vivemos no sistema capitalista e o capitalismo está disposto a sacrificar todo e qualquer valor moral, na busca insensata do lucro.  O capitalismo não somente convive com as extravagâncias e os horrores sociais, como se esmera em produzi-los quando esses horrores proporcionam ganhos e lucros para a classe burguesa. Ultimamente, uma das coisas que tem rendido lucros para certo segmento da burguesia é a exploração direta ou indireta do sexo. Existe a exploração considerada legal, lícita, que é aquela viabilizada através de revistas ou das imagens exibidas pelo cinema e pela televisão. Há uma exacerbação do sexo, sendo ora pela exibição em grande escala, seja pela repressão ostensiva como se dá nos mosteiros e em outros antros de caráter moralista, porém de conotação hipócrita. Parece-nos que é justamente nessa exacerbação do sexo, feita sem nenhum limite que está a razão pela qual têm se dado tantos desajustes no comportamento das pessoas, promovendo em alguns casos verdadeiras patologias. 

Um comentário:

  1. i.g.cavalcante50@hotmail.com2 de março de 2012 18:41

    A sociedade capitalista está tão deteriorada, que chego ter receio, da omissão dos mais conscientes e chegarmos ao cúmulo da indiferença, com a desgraça social. Um episódio de estupro, por se só, já é repugnante. Imagine um monstro estuprar uma senhora com mais de 80 anos de idade!
    O episódio relatado pelo articulista Gilvan, Rocha, serve de alerta, principalmente para chamar atenção da sociedade em geral da banalização de fatos tão hediondo.

    ResponderExcluir