sexta-feira, 22 de julho de 2011

FÉ OU FUGA?


A cada dia vemos crescer em escala vertiginosa o número de religiões e seitas mundo a fora. O que impele uma imensa massa de pessoas a se voltarem de forma tão desesperada para essas igrejas e seitas? Na verdade o mundo tem dado testemunhos seguidos de crises de toda natureza. É a crise financeira, do desemprego, do baixo salário, da violência em todos os recantos, da desestruturação social que leva multidões de jovens para as drogas e assim se seguem os exemplos de desajustes e perigos. Esse quadro horrendo nos traz naturalmente aflição, angústia, insegurança, uma vez que não contamos com uma esquerda de perfil explicitamente anticapitalista que chegue à massa do povo e lhe diga: essa sucessão de crises, esse estado de barbárie e de perversões têm uma causa e essa causa responde pelo nome de sociedade capitalista.

Está no capitalismo a causa, e na ausência desse saber por parte do povo, legiões de pessoas buscam uma fuga nas religiões que proclamam, ora o fim do mundo, ora o caminho da prosperidade para quem contribui com bons dízimos.

Esse caminho de fuga assumido pelos aflitos não levará à real salvação, pois tudo se reduz a uma mera fantasia. O verdadeiro caminho que poderá nos libertar dessa situação caótica e perversa, é a luta do povo organizado e consciente, contra o capitalismo. O caminho da salvação é um só, e responde pelo nome de socialismo. Para levar a cabo, entretanto, a nossa luta pelo socialismo, é necessário que existam partidos e movimentos que priorizem a verdadeira educação política do povo, ao invés de se prestarem a porta vozes da burguesia, semeando a ilusão de que, de governo em governo, chegaremos a alcançar a vitória definitiva das massas oprimidas contra os seus opressores. Não esperemos, porém, que tais movimentos e partidos revolucionários caiam do céu. É urgente, urgentíssimos mesmo, que eles sejam construídos de tal forma que levem ao povo, única força realmente capaz de desconstruir o capitalismo e construir uma nova ordem econômico-social, a informação necessária.

5 comentários:

  1. "A religião é o ópio do povo" Não veremos a verdadeira causa dos problemas sociais, se vivermos cobertos de crenças enganadoras.

    ResponderExcluir
  2. O problema não está nas religiões, mas sim nas pessoas que as seguem.... O ser humano é um equivoco por natureza

    ResponderExcluir
  3. O problema está nos "Falsos Profetas" que fazem lavagem cerebral nos 'fiéis' fazendo-os acreditar que serão mais felizes com as "bençãos de Deus" se derem $$$$$$$$$$ a ele, como 'se' o criador tivesse colocado o povo no mundo para trabalhar pra ele e assim "prosperar"... Resultado!!! Povo alienado, desestruturado e ainda por cima põe culpa no capeta por tudo de ruim que acontece na vida, pois, sem dinheiro, não tem saúde, educação, lazer etc.

    O caeta chama-se "capitalismo" onde se possível mata um irmão para se dar bem.

    ResponderExcluir
  4. i.g.cavalcante50@hotmail.com23 de julho de 2011 10:50

    Recomendo aos companheiros socialistas ou não, que lêem os artigos postados pelo Gilvan em seu blog, mesmo que se discorde do seu conteúdo. Nos do PSOL, temos a suprema honra de contar com um companheiro de tamanha envergadura moral. Gilvan já ultrapassou as cinco décadas de caminhada socialista, sem nunca tergiversar diante dos parâmetros da dignidade humana. Gilvan Rocha, juntamente com sua companheira Ester Barroso, abdicaram do direito de até ter filhos, tudo isto, em nome do socialismo. Os cearenses estão de parabéns, por contar com filhos tão ilustres e tão dignos. Gilvan, pode até às vezes ser duro nas palavras, jamais indigno ou injusto e nunca faltou e certamente não faltará com o habitual censo de justiça.

    ResponderExcluir
  5. i.g.cavalcante50@hotmail.com25 de julho de 2011 09:38

    Dona Fátima é nossa vizinha, uma pessoa muito religiosa, fez o seguinte pergunta a respeito do artigo do Gilvan, “FÉ OU FUGA?”.
    “Seu Gilvan Rocha é ateu?”
    Depois de alguns segundos, d. Fátima voltou a comentar o seguinte: “ mesmo assim, tenho admiração pelo seu Gilvan. Agora, quando ao senso de justiça que o senhor (Ivanildo) fez referência, não possa concordar, Gilvan está sendo injusto para com Deus, está cometendo um grande pecado.” Finalizou, D. Fátima.

    ResponderExcluir