sexta-feira, 11 de maio de 2012

PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE




            Eis uma questão que está na ordem do dia. É intrigante observar que, significativos setores da burguesia, estão transformando a questão em bons negócios ou estão se utilizando da onda para propor saídas no âmbito do capitalismo.
            Como primeiro exemplo, apontemos o fato de que proliferam os “partidos verdes”. Por seu lado, o ex-vice presidente dos Estados Unidos, Al Gore, produziu um filme de qualidade técnica e de bom nível de comunicação, defendendo o meio ambiente. Por sua vez, cresce o número de empresas multinacionais que produzem mensagens de apoio à preservação do planeta.
            O intrigante é que esses discursos, regra geral, são dotados de caráter oportunista ou romântico. É romântico, quando somos convocados a promover campanhas tipo “plante uma semente”; é romântico, quando somos chamados a rejeitar copos descartáveis e usar os duradouros.
            Pode-se dizer que essas atitudes, embora inócuas, têm caráter simbólico, mas deve-se dizer que tanto no caso da direita, como da esquerda, termina-se preso a um discurso maroto, qual seja: quem destrói a natureza? E então, temos como resposta dada, tanto pela Rede Globo, como por pessoas bem intencionadas, que a causa é o homem e a solução é construir uma cultura preservacionista.
            Essa colocação peca pelo equívoco, peca em razão de não dizer, de forma clara e insistente, que a causa da destruição do planeta não está na simples ausência de uma consciência ecológica e sim no caráter predatório do sistema capitalista.
            O capitalismo marcha celeremente para a destruição do planeta, para a destruição da vida. É dever das pessoas conscientes e que não tenham compromisso com a sustentação desse sistema socioeconômico, promover campanhas que impopularizem o capitalismo, revelando o seu caráter destrutivo, o seu caráter desumano. Para isso, faz-se necessário não se prender, mesmo que bem intencionados, ao discurso burguês que semeia a lenda de que a educação ambiental é forma de barrar esse processo que atenta contra a vida.

Um comentário:

  1. Ivanildo Cavalcante14 de maio de 2012 13:20

    À esquerda direitosa, joga sempre pelas pontas e nunca pelo centro, isto é: nunca ataca o causador de todos os males, o capitalismo. Será que faz isso por conveniência, ou desinformação? Espero sinceramente, uma explicação racional e convincente!...

    ResponderExcluir