sexta-feira, 6 de julho de 2012

DOIS PARTIDOS?



            Corre a notícia de um “racha” no interior do Partido dos Trabalhadores. Uma ala, com a participação da Dilma, pretenderia manter-se longe de qualquer escândalo. Seria o “PT ético”. Do outro lado, teríamos o “PT do MENSALÃO”, em que se destaca a figura do Sr. Lula da Silva. Observa-se no “PT ético” uma posição estritamente moralista, sem questionar o fato de o partido ter se rendido ao discurso da burguesia e ter se prestado a servir de linha auxiliar de sustentação do sistema capitalista.
            A reprovação dos “éticos” à conduta da outra ala, não contempla os interesses históricos dos explorados e oprimidos. Enquanto isso, o “PT do MENSALÃO”, que reune uma quadrilha de delinquentes políticos, onde se sobressaem figuras como: o sinistro José Dirceu; o Sr. Delúbio Soares, tesoureiro das maracutaias; o Sr. Genuino; assim como o Dep. João Paulo e outros próceres da má conduta, se empenham, sob a liderança de Lula da Silva, em jogar todas as suas fichas em prol da impunidade e da delinquência, então praticada no famoso escândalo do mensalão.
      Parece-nos que a turma do “PT ético” aposta no resgate moral do velho PT, que brotou das lutas operárias do ABC Paulista. Achamos que essa postura é dotada de muita de ingenuidade, pois não registramos em toda história do mundo, um só caso, em que partidos degenerados tenham se recomposto e a História está cheia de exemplos para fundamentar essa afirmação, a começar pela História da Segunda Internacional. Restaria dessa forma aos “éticos”, a criação de um novo PT que até poderia ter o nome de PT Renovado, mas não poderíamos deixar de insistir na afirmação de que tal iniciativa, embora tivesse o mérito de expor ao público a verdadeira face do “PT MENSALÃO”, assim mesmo, seria um passo insuficiente diante das necessidades reais que apontam para a urgência da construção de partidos e movimentos que se oponham, claramente contra o sistema sócioeconômico vigente sem pretender remendá-lo ou tentar torná-lo palatável, pois tais caminhos são completamente sem sentido.

2 comentários:

  1. Ivanildo Cavalcante6 de julho de 2012 18:07

    Gilvan Rocha, uma voz absolutamente necessária e indispensável para o conjunto dos trabalhadores e por via de consequência para o socialismo revolucionário. Somente à esquerda direitosa, juntamente com a burguesia explicita negam esses valores. Leia mais esse artigo do bravo companheiro acima citado.

    ResponderExcluir