sexta-feira, 30 de setembro de 2011

BRINCANDO COM FOGO



O Supremo Tribunal Federal – STF toma decisões que afrontam a maioria do povo brasileiro. Essa instituição do maior aparelho judicial, tem se mostrado generosa com os corruptos bem sucedidos. Praticou, recentemente, dois episódios imorais. O primeiro, foi o arquivamento do processo contra a empreiteira Camargo Correia, não obstante as robustas provas que a Polícia Federal e o Ministério Público exibiram. O segundo episódio é o que concerne ao arquivamento do processo movido contra a quadrilha Sarney.

Nessas atitudes, dentre outras, o STF tem deixado claro o quão protegida está a fina-flor da corrupção e quão curtos são os braços da justiça quando a tarefa que lhe é dada seria a de alcançar esses malfeitores.

O caso de Paulo Maluf é bastante ilustrativo de como são tratados os ladrões ricos, sempre protegidos pela impunidade. Aproximam-se os dias em que o famoso processo do mensalão petista será julgado. O ilustre advogado Marcio Tomaz Bastos, ex-ministro da justiça do governo Lula e íntimo companheiro da maioria dos ministros que compõem o STF, tem se movimentado na busca de inocentar os acusados nesse processo, especialmente, empenhado em inocentar o chefe da quadrilha, o sinistro José Dirceu.

Todas essas bandalheiras são praticadas à luz do dia e de forma acintosamente desrespeitosa. Não sabemos até quando as massas trabalhadoras permanecerão caladas diante de tantos abusos. Sabemos que tudo tem os seus limites e a generosa paciência do povo também os tem. Já no sete de setembro, uns poucos milhares de pessoas gritaram contra a corrupção e a impunidade. Esses gritos, entretanto, não chegaram aos ouvidos dos senhores ministros do STF e essa surdez é um testemunho inegável de insulto ao povo. E até parece que esses senhores estão querendo, imprudentemente, brincar com fogo, pois não cremos longe o momento em que as massas populares haverão de se insurgir e bradar a plenos pulmões: fora a corrupção, fora a impunidade e, sobretudo, fora a matriz dessas mazelas, fora o capitalismo!

Um comentário:

  1. i.g.cavalcante50@hotmail.com30 de setembro de 2011 10:43

    "BRINCANDO COM FOGO" é uma peça que nós faz acordar para seguinte questão: estamos diante da falência dos poderes constituídos. O Legislativo é um serviçal do atual sistema, Executivo beira a irresponsabilidade, Judiciário deveria ser o guardião da lei maior, contraditoriamente rasga a carta que jurou cumprir e fazer cumprir.O SISTEMA CAPITALISTA, está no ocaso da sua existência. Não tem outra saída, socialismo ou a tragédia total da humanidade.

    ResponderExcluir